13.9.11

ciclo vicioso

Reacções: 
Há qualquer coisa que me diz que a hora ainda não chegou, e eu continuo nesta espera incansável. Interminável. Tento recompor os outros pedaços que ficaram e que mataste dentro de mim compulsivamente, e tu chegas no minuto seguinte. (...) Chegas, conquistas, preenches. Partes, arrasas, esvazias. Persegues-me num ciclo vicioso e eu não te consigo largar. (...) És como as ondas do mar que me arrastam para dentro delas pela magia da sua leveza. (...) Prendes-me a ti sempre que vais e não dizes quando voltas. Talvez porque eu saiba que tu sempre voltas.

Sem comentários:

Enviar um comentário