21.12.11

come here on my bed

Reacções: 
Empurras a minha cabeça contra o teu ombro e pedes-me que não chore. Mexes-me no cabelo com os nós dos dedos e aprecias o silêncio que se espalha pelas quatro paredes do teu pequeno negro quarto. O meu corpo estende-se pelo teu sofá e as minhas pernas encolhem-se instantaneamente. E há aquele instante em que me tiras do poço fundo em que me começo a enterrar e me puxas para junto de ti, pegando-me ao colo. Fazendo com que os nossos membros se toquem, se colem e se agarrem. 
Elevas-me e sinto-me como uma leve princesa que alcança o céu. 
E todos os pesos deixam de ser meus. E todas as tristezas fundas deixam de me ocupar a mente. E os meus vermelhos e doentios olhos secam. Fazes magia dentro de mim, e escrevo para que saibas disso, meu amor. Mas, por mais que a alegria me preencha a Alma e devolva alguma expressividade ao meu olhar, não estou totalmente feliz, sabes? Tenho plena consciência de que vou passar a noite sozinha. E de que não voltas amanhã. E de que também não passas a noite de amanhã comigo. E de que não vamos acordar às 4h da manhã para contar as infinitas estrelas no céu. E eu queria tanto ter-te aqui agora... ou no próximo anoitecer.

Sem comentários:

Enviar um comentário