28.12.11

deixa-me viver em ti

Reacções: 
Estes dias sem ti bastaram-me para esvaziar tudo o que de ti tinha em mim, sabes? A solidão derruba-me um bocadinho e logo a seguir um bocadinho bem mais forte, e o frio das noites compridas teima em não passar. Tenho a nossa moldura e a pulseira que me deste num canto visível do meu pequeno quarto, mas ainda te sinto a falta em todos os outros cantos e nas 4 paredes tão vazias de ti. Fui olhar-me ao espelho com esperança de te encontrar a meu lado, e sabes? O meu olhar desfez-se em mil estilhaços e também o meu coração quebrou. Porque a outra metade do meu coração é tua - é isso, pelo menos, o suposto nas grandes e perfeitas histórias de amor que encheram e encantaram a minha infância - e ela está tão longe da outra. É um vazio assim como o de uma mão sem estar  perfeitamente entrelaçada noutra, sabes? Assim como a minha mão e a tua (não) têm estado. Unidas. E odeio ainda mais o meu eu desfigurado. 
E num instante de mera fragilidade, não consegui resistir-lhe, sabes? É que me dói a garganta e o peito de encher e de engolir o choro. Perdoa-me as lágrimas e a honestidade proveniente do desespero fundo, mas sabes? Devias ter lutado mais. Devias ter dado mais por mim e pelo nós que insististe em construir. Devias ter dado tudo aquilo que prometeste um dia ser meu. Mas sabes? Sempre soube que promessas naqueles tempos frescos e felizes em que tudo começa a fluir acabam por se quebrar. E as promessas quebraram-se no preciso instante em que o meu reflexo no espelho apareceu diante dos meus olhos. E o tudo somos nós, sabes? E o tudo também parece ter-se quebrado. 
Mas sabes? Mesmo que não dês tudo, mesmo que não agarres em mim e me eleves ao máximo para que eu possa tocar na lua, apoiada nos teus seguros e longos braços, mesmo que não me presenteies com surpresas e com palavras de amor espontâneas, eu irei lutar. Irei lutar pelo calor do teu abraço, porque eu preciso de sentir que a paixão não voou para sempre por céus perigosos e que desconhecemos. Eu amo-te, sabes? Eu amo-te como se fosses uma parte de mim. Significativa. Eu amo-te como me amo a mim, porque sabes? Quando apareceste na minha vida, por mero acaso ou por obra do destino, eu entendi que tivesses vindo para ficar em mim - comigo. Eu amo-te, amo-te muito... mas sabes? Esse amor não me tem trazido nada mais do que medo... e do que sonhos obscuros. Eu amo-te, e preciso que fiques comigo numa destas noites, para que possamos cumprir um sonho antigo que cresceu em dois pequenos corações. Fica comigo e não me largues, sim? Durante umas horas deixa-me viver em ti. Penetra o meu corpo e a minha alma e deixa-me viver assim - porque o desejo é o vício e o amor mundano. Deixa-me viver e permanecer num momento somente nosso. Deixa-me mergulhar nas águas infinitas do prazer e do sentimento de recompensa que a compreensão traz e, por favor, deixa-me viver assim. Deixa-me viver em ti.

Sem comentários:

Enviar um comentário