15.12.11

free love

Reacções: 
Se existo demais e se, ainda assim, sentes que não me conheces, desculpa; se erro, desculpa; se choro e derramo e me lamento sem motivo, desculpa; se sorrio sem autenticidade, desculpa; se fecho o meu coração para ti sem o mereceres, desculpa; se te nego algo, desculpa; se me distancio, desculpa; se te mostro o que sinto de uma maneira intensa, desculpa; se não te conto o que de doloroso há na minha vida, desculpa. Mas tu soubeste desde o início, sempre te mostraste seguro... e quando me fizeste a tal promessa, criou-se entre nós um laço inquebrável. E dentro de mim cresceram os sonhos, as esperanças, as alegrias e os progressos relativos ao futuro. E fizeste-me crescer como pessoa. E o meu coração também cresceu - tanto que fez com que abrisse os meus braços para ti e com que recebesse tudo o que tinhas para me oferecer. E foi tão bom poder, por fim, abrir os braços e respirar fundo, num ar límpido e fresco e cheio de amor para nos dar. E ainda hoje recebo tudo, de ti e dos ares do Mundo. E ainda hoje voamos como dois pássaros felizes e sem destino. E ainda hoje o meu coração cresce (mais um pouquinho a cada dia) - e tudo isso prova que me conquistaste do jeito certo. E sabes? Apetece-me beijar-te num eterno instante e dar-te tudo o que hoje tenho de meu, abraçando-te com todas as forças que hoje tenho - não te deixarei cair, meu grande, grande amor. Perdoa-me por ter sido quem fui há tempos atrás. Perdoa-me se ficaram restos do meu antigo eu no meu corpo. E agradeço-te (de corpo e Alma)... porque contigo reencontrei os meus próprios espaços, reencontrei a minha recôndita Alma e reencontrei a minha Liberdade. Amei-te e só esse passado, por muito ou por pouco, já valeu a pena... porque em ti aprendi a conhecer-me e a ter um pouco de amor próprio... porque contigo aprendi que o que menos importa é o reflexo no espelho. E sabes? Hoje amo-te. Mais. Muito mais.

1 comentário: