20.12.11

melhor de mim

Reacções: 
Tocas-me nas faces quentes e rosadas e nas curvas das ancas, e ao mesmo tempo, sem saberes, vais passando e tocando no coração. Agarra-lo com uma força incrível, e mesmo na escuridão forçada de uma tarde luminosa, eu sinto-a. Sinto-te. Perto de mim. Sinto a tua respiração junto ao meu pescoço e sinto o ar a aquecer mais e mais e mais. Sinto as tuas festinhas na minha nuca. Sinto as tuas mãos que já tantas vezes decorei a acariciarem-me cada aresta do corpo. Sinto o teu coração também, que bate rápida e profundamente. E oh, entre cada batida dá-se um espaço de tempo sempre igual. Curto. Assim como são aqueles espaços de tempo em que estamos de costas voltadas. Sabes que não consigo deixar de te ter comigo por muito tempo, não sabes amor? 
Completas os espaços de tempo entre as batidas do meu coração - do teu, no fundo. Porque tu és eu, porque eu sou tu, porque o que é teu é meu, porque o que é meu é teu. Porque és o melhor de mim e, por isso, vou guardar-te para sempre. Ocupaste todo o espaço que se encontrava em vácuo neste meu coração e, agora não podes ir para longe. Ele sangra por ti e não pode ficar nem mais uma vez a balançar meio perdido no barulho ensurdecedor do vazio, sabes? Ele ouviu as tuas promessas e não se esqueceu de nenhuma das palavras bonitas que me disseste ao ouvido. 
Hoje a escuridão fez-me sentir tudo de forma tão intensa. E o silêncio entre um e outro beijo fez o tempo à minha volta parar.
Não te vás, o meu coração é teu e o teu coração é meu.

Sem comentários:

Enviar um comentário