20.8.11

thirteen

Reacções: 
Deixa-te levar pela liberdade do nosso beijo e esquece as sombras e as vozes alheias. Deixa-te levar pelo conforto dos meus braços. Deixa-te levar, tal e qual como eu fiz ao longo destes 6 meses.
Hoje só estranho ter-me apegado tanto a ti. Habituei-me aos teus cheiros e ao calor da tua presença. Tudo se tornou rotineiro. À noite, quando estou deitada, serena e tranquila, naquele espaço de tempo onde reflicto e penso sobre vários acontecimentos e vários sentimentos, sinto-te. Sinto a tua ausência no meio de um turbilhão de histórias e vivências, e quase que te sinto, deitado mesmo pertinho de mim. Nesses pequenos e profundos instantes… (...) sinto as tuas mãos a limparem-me as faces desoladas, das lágrimas derramadas sem sentido. Sinto o entrelaçar das nossas mãos enquanto caminhamos lado a lado numa rua comprida e sem fim. Sinto a tua respiração ofegante junto aos meus ouvidos, quando tento dormir. Sinto as palavras e as juras de amor que me murmuras ao ouvido, num tom baixinho, parecendo ter medo da minha reacção. Sinto a dor que eu mesma que te causo com gestos inoportunos e palavras ditas sem serem antes formuladas no pensamento. Sinto os teus impulsos, os teus bocejos e o batimento do teu coração. (...) Sinto-te dentro de mim. Sinto-te nos meus ossos. Sinto o teu, e o nosso amor. Sinto este amor que não quero que acabe e do qual desfruto todos os dias. Sinto esta paixão que me alimenta, e ao mesmo tempo me destrói pelo receio de se acabar. Sinto esse tal receio da destruição e da quebra irreparável. No entanto, nada do que temo importa, porque tu mereces mais do que medos e receios. Acima de tudo, nós merecemos mais do que medos e receios. Mereces que veja para lá do que é visível a olho nu, mereces que sinta mais do que os toques e os retoques, mereces que ouça mais do que aquilo que me dizes, mereces que cheire mais do que aquilo que és e te pertence e mereces que saboreie mais do que aquilo que o teu sabor me traz. Mereces para lá do além, mereces o infinito e a cumplicidade eterna. Mereces ser mais do que uma peça essencial do puzzle da minha vida, mereces ser mais do que indispensável nesta história que ambos estamos a viver com tanta dedicação… mereces somente que eu que te queira para sempre. E a boa notícia é essa, hoje, aqui e agora, eu quero-te para sempre.

... só mesmo porque continua a fazer todo o sentido! Madrid, Abril 2011

Sem comentários:

Enviar um comentário